O valor de um telefonema

Roberval era uma pessoa normal, trabalhava, viajava, tinha dois filhos, uma esposa atraente, não tinha vícios, gostava de assistir televisão e também praticava alguns esportes, era amador, mas era considerado bom no futebol e na “bike”.

Mas na vida tudo pode acontecer, e Roberval, um profissional exemplar começou a perder espaço na empresa que trabalhava como vendedor, pois devido a um problema particular de fiança a um parente, ficou com o nome “sujo” e ainda teve que ficar atendendo várias ligações de cobrança por parte de empresas especializadas, estas ligações, apesar de rápidas, lhe causavam perturbações, e lhe tirava o foco que era vender, claro.

Como ele percebeu que o motivo da queda de rendimento era os telefonemas indesejados, começou a ignorar as ligações, primeiro deixando tocar e não atender, mas isto começou causando um outro problema: atrapalhar os colegas, que queriam trabalhar, mas o ruído do seu telefone incomodava, ele logo achou uma solução, comprou um head phone, assim somente ele saberia que deixava de atender os telefonemas.

E as coisas só foram piorando, pois em pouco tempo, todos perceberam que ele não vendia mais o que vendia antes, e não demorou para seu gerente tomar conhecimento, e sua vida que até há pouco tempo era normal, virou um inferno, pois começou a faltar com sua obrigação em casa, sua esposa e filhos começaram a cobrar uma solução para a falta de dinheiro, pois como ele era comissionado, perdeu rendimentos, cobrança da empresa, da casa; Gerente, filhos, esposa, amigos, parecia que todos estavam contra ele.

Mas tudo pode piorar e, piorou para Roberval, agora desempregado e em crise no casamento, começou a mandar currículos, que aliás era um belo currículo, pois antes da crise era um ótimo vendedor, mas como não conseguia um novo emprego, ficou em casa, saia pouco, tinha vergonha do que as pessoas falavam a seu respeito, não usava mais celular e não atendia os telefonemas, e quando os seus atendiam, ele pedia para dizer que não estava.

Mas como tudo pode melhorar, conheceu um homem que lhe disse para aproveitar as oportunidades da vida, o mesmo lhe respondeu: mas que oportunidade tenho eu se só me chega noticias ruins e cobranças? O homem então lhe disse: É nas dificuldades que temos que enxergar as oportunidades, sabendo do trauma instalado por causa do telefone, este insistiu e foi categórico ao lhe dizer, o que lhe falta é coragem para enfrentar o desconhecido, atenda todos os chamados, pois um deles poderá ser sua salvação.

Roberval não lhe deu atenção, e, naquele mesmo dia ele sentou na poltrona e ficou olhando o telefone que insistia em lhe chamar a atenção com seu trim trim continuo, relutou, pensou, coçou a cabeça, mas devido a frase do desconhecido, acabou atendendo, não era cobrança, era seu filho desesperado na escola dizendo que sua irmã tinha sofrido um acidente, caiu de uma altura de quatro metros e estava desacordada, que já tinham chamado a ambulância e que estava com medo, Roberval conseguiu chegar na escola antes da ambulância e socorrer sua filha e, não houve nada de grave apenas escoriações, porém o que mais marcou naquele acidente foi a declaração da filha, Pai pensei que você não fosse vir me socorrer, o tempo todo sonhei que você não me amava, mas quando abri os olhos, você estava a meu lado, você é muito importante para mim.

Depois deste dia, Roberval prometeu atender todos os telefonemas, e foi depois de três dias que uma empresa gigante, com excelentes produtos lhe chamou para uma entrevista através do telefone, que ele atendeu de pronto, estava instalada a confiança novamente, sua família hoje é mais unida, e Roberval aprendeu a lição, hoje ele faz questão de atender e incentivar a todos a sua volta a atender todas e quaisquer tipo de ligação telefônica.

E você? Seu telefone pode estar tocando, vai atender ou vai deixar a oportunidade passar?

Um abraço,
Carlos Serpeloni

Compartilhe com os amigos: