MULHER

Se não fosse você mulher, eu não existiria e não é por ter me gerado e sim por ter me ensinado a viver, a suportar a dor, a dar carinho, a dar amor sem nunca cobrar nada de volta, obrigado por me ensinar a lutar, a sentir, a ter percepção, a ter ilusão, a sonhar com um mundo sem guerras, sem fome, sem mortes, porque você mulher, prega o amor sem devolução, sem razão, amor pelo filho, pelo seu filho, pelo filho de seu irmão ou pelo filho de pai desconhecido.

Amo as mulheres, invejo as mulheres, e não me envergonho disto, como podem ser tão mais completas que nós, quantos ensinamentos nos dão… com sua paciência… noites sem dormir… sexo frágil… sexo frágil somos nós homens que trabalhamos um pouco mais ou temos qualquer pressão maior, pronto não podemos fazer mais nada. Enquanto isto mulher, você muitas vezes trabalha fora, cuida da casa, dos filhos e do marido que está cansado.

Eu homem simples mortal, gostaria de ter a metade da metade da terça parte da humildade e sabedoria da mulher, que nos carrega dentro de seu corpo por nove meses, deformando-o e mesmo assim não se acha dona do mundo e nem dona de nós.

Obrigado: mães, esposas, filhas, irmãs, sogras, tias, marias quitérias, anãs nerys, anitas garibaldis, que estão dentro de vocês e a todas as mulheres, que mesmo no anonimato do seu lar construíram esta nação.

Obrigado MULHER!

Um abraço,

Carlos Serpeloni

Compartilhe com os amigos: